Hypoestes


Planta perene herbácea, conhecida também como “confete”. É muito versátil no paisagismo podendo assumir diversas funções como forração ou maciços, muito rústica podendo ser cultivada facilmente. Não é venenosa ou fitotóxica.



Como cuidar: Pode ser cultivada em meia-sombra até ao sol pleno, em solos férteis ou enriquecidos com matéria orgânica ou adubos químicos. Irrigar sempre que a terra ou substrato estiver seco.



Disponibilidade: Jardineira pequena (n°1); CUIA 13 e CUIA 18.



Nome Científico: Hypoestes Phyllostachia.



Origem: Madagascar.



Barba de Moisés


Também recebe outros nomes populares: Lágrima de anjo, cabelinho de anjo, planta da sorte. Planta herbácea de origem mediterrânea e italiana. Pertence a família urticaceae



Como cuidar: Regar sempre o vasinho quando o substrato estiver seco, gosta de lugar semi sombreado ou luz filtrada, pode facilmente ser cultivado dentro de casa próximo as janelas. Pode ser usado como forração de vasos e canteiros sombreados onde a grama não vai bem.


Disponibilidade: CUIA 13.



Nome Científico: Soleirolia Soleirolii.


Echeveria


Planta da família suculenta, conhecida como “rosa de pedra”.



Como cuidar: Pode ser plantada a sol pleno ou em locais com grande iluminação. Como é uma suculenta suporta bem períodos de seca, devendo ser irrigada somente quando a terra estiver seca, tendo o cuidado de não encharcar. Uma vez por mês pode-se irrigar com uma solução de adubos para folhagem.



Disponibilidade: POTE 11 e CUIA 21.



Nome Científico: Echeveria Glauca.



Origem: México.


Fitonia


Conhecida também como planta-mosaico pelo desenho de suas folhas, é planta rasteira, perene que vai muito bem em locais sombreados ou dentro de casa, pode ser podada quando necessário. É excelente forração de canteiros em locais à sombra sendo também fácil de manter em terrários, agora temos também fitonia vermelhas e cor de rosas.



Como cuidar: A Fitonia gosta de ambientes sombreados, podendo ser cultivada dentro de casa ou como forração de canteiros com pouca luminosidade. Molhar sempre quando o substrato estiver seco.



Disponibilidade: CUIA 13.



Nome Científico: Fitonia Verschaffeltii.



Origem: América do Sul, Peru.


Dinheiro em Penca


Planta rasteira, pendente, conhecida por trazer sorte financeira! Se seu vaso de dinheiro está bonito e bem viçoso suas finanças também vão bem! Gosta de locais bem iluminados e pode ser mantido muito bem dentro de casa. Pode ser usado como forração de áreas sombreadas.



Como cuidar: Irrigue sempre que o substrato estiver seco, tendo o cuidado de não encharcar. Uma vez por mês pode-se irrigar com uma solução de adubos para folhagem.



Disponibilidade: CUIA 21 e POTE 13 quadrado.



Nome Científico: Pilea sp.



Origem: Amazônia e Mata Atlântica.


Véu de noiva


Não importa se ele está no chão ou em um vaso preso no alto, cultivado como planta pendente: o véu-da-noiva é delicado e fica lindo o ano todo. Suas folhas verde-escuras na face superior são avermelhadas na parte debaixo e os ramos suculentos, pontilhados por diminutas flores brancas, de fato se assemelham a pérolas bordadas em voil, daí seu nome popular.



Como cuidar: Regar sempre que o substrato estiver seco, uma vez por mês usar adubo para folhagens. Gosta de ambiente com meia sombra. Floresce o ano todo.



Disponibilidade: CUIA 21.



Nome Científico: Gibasis pellucida.



Origem: América central.


Neve da montanha


A Neve da Montanha pertence a família Euforbiacea, nos meses de maio a julho apresenta uma fabulosa floração branca, que encanta com um delicioso perfume. As folhas caem nesta época, ficando um maciço de flores brancas. Após este período as flores caem, sendo a época ideal para a poda. Esta planta apresenta uma brotação vigorosa, podendo ficar no formato desejado.



Como cuidar: Regar sempre que o substrato estiver seco, pode ser plantada no jardim a pleno sol, adubar 3 vezes por ano com adubo para pl. ornamentais de sua preferência. Aceita poda após a floração, mês de agosto e setembro.



Disponibilidade: Temos mudas em POTE 24.



Nome Científico: Euphorbia leucocephala.



Origem: América central.


Clúsia


A Clúsia pode ter o porte de arbusto ou arvoreta, podendo atingir 6 metros de altura se não for podada. Sua folhagem é bastante ornamental, apresentando folhas rígidas, brilhantes em forma de gota. Ela tem uma característica interessante: é capaz de absorver gás carbônico durante a noite, tendo assim uma fotossíntese mais eficiente e uma grande proteção contra a desidratação. As flores são pequenas e brancas, a floração ocorre na primavera e verão.



Como cuidar: : Regar sempre que o substrato estiver seco, bem rustica, pode ser plantada a pleno sol, sendo uma ótima opção para cerca viva. Adubar 3 x por ano com adubos para pl. ornamentais.



Nome Científico: Clusia fluminensis.



Disponibilidade: Temos no POTE 24.



Origem: América do Sul, Brasil.


Bálsamo Medicinal


O Bálsamo é uma planta da família das crassuláceas, herbácea e de folhas suculentas. Possui propriedades fitoterápicas, largamente conhecidas, tratando doenças estomacais (úlceras), diabetes, queimaduras, bronquite, frieiras e etc.



Como cuidar: Regar sempre o vaso quando o substrato estiver seco, adube com adubo para folhagens, uma vez por mês e cultive-o a sol pleno ou semi sombreado.



Disponibilidade: POTE 24.


Echeveria Gibbiflora


A Echeveria Gibbiflora é uma planta suculenta muito resistente e de grande porte. Conhecida também como “Rosa de Pedra”. É de fácil cultivo, não tolerando excesso de água, podendo ser plantada a pleno sol ou em locais bem iluminados.



Como cuidar: Irrigue somente quando o substrato estiver seco. Plante em canteiros ou vasos com uma boa drenagem.



Disponibilidade: CUIA 25.


Outros Produtos